Pesquisas #VoteLGBT

Desde 2016, pesquisamos o perfil político dos participantes das paradas de Orgulho LGBT+ realizadas em São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte e também da Caminhada das Mulheres Lésbicas de São Paulo.

Foram mais de 5.000 entrevistas face a face em 11 eventos diferentes e mais de 16.000 questionários preenchidos pela internet.

Abaixo, um resumo dos nossos principais dados.

Se você quiser saber mais, clique aqui para acessar os relatórios completos.

 

Paradas são festas políticas

Em todas as paradas que fomos, cerca de 80% das pessoas disseram estar ali por motivos políticos, seja apoiar a causa ou defender direitos. 

Por que você veio à parada?

Valores em %.
 

Paradas são Cristãs

Ao contrário do que estabelece o senso comum, que opõe cristãos a LGBTs, 40,2% dos participantes das paradas de SP e 47,5% em BH declararam possuir alguma religião cristã (entre católicos, evangélicos e kardecistas). Na Caminhada de Mulheres Lésbicas e Bissexuais a porcentagem de pessoas cristãs é menor, tendo um maior número de atéias. 

religião

valores em %
 

Paradas são mais negras

As Paradas de SP e BH são mais negras do que a população dessas cidades. A Parada paulistana é 16,7% mais negra do que a população paulista. Já a Parada belorizontina é 6,9% mais negra do que a população mineira.

 

Cor ou raça

valores em %
 

paradas são mais à esquerda

Há também uma tendência pela negação das tradicionais definições políticas de direita e esquerda: quase um terço das pessoas entrevistadas não se reconhece em nenhuma das opções apresentadas. 

Entre direita e esquerda, você é de?

valores em %
 

sabemos o que queremos

Os participantes da Parada e da Caminhada de SP  indicaram que as três pautas prioritárias para a luta LGBT+ hoje são

1. o ensino do respeito ao LGBT+ nas escolas,
2. a  criminalização da LGBTfobia
3. a criação de cotas de emprego para pessoas trans.

 

 

Principais pautas

 

Deu curiosidade? acesse nossos relatórios completos sobre cada evento!